Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 12/11 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 17/11 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 12/11 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 17/11 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 12/11 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 17/11 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 12/11 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 17/11 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 12/11 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 17/11 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 12/11 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 17/11 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 12/11 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 17/11 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 12/11 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 17/11 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Guiné-Bissau

Governo guineense fixa preço máximo de saco de arroz

media Arroz RFI/Aurore Lartigue

O primeiro ministro guineense Umaro Sissoco Embaló anunciou que o governo fixou em 16.500 francos CFA o preço máximo da venda do saco de 50 quilogramas de arroz em Bissau.

A medida visa controlar a subida de preço do cereal que se registou nos últimos meses. E surge em sequência da reunião do Presidente da Guiné-Bissau, José Mário Vaz, que se avistou com empresários guineenses e representantes dos bancos do país como quem delineou uma operação de importação de arroz para abastecer o mercado guineense até ao início de 2018.

O governo guineense fixou o preço máximo de 50 kg de arroz "Nhelen" em 16.500 francos CFA, o que representa cerca de 25 euros) em Bissau e 17.000 CFA no interior do país.

O ministro do Comércio guineense, Victor Mandinga afirmou que o governo vai controlar "o preço dos produtos de primeira necessidade no mercado através de uma comissão que envolverá os operadores privados".

O sociólogo e investigador guineense Miguel de Barros analisa a medida e aponta dois problemas graves; "o governo opta por tomar medidas sem tomar em consideração a taxa de inflação e o nível salarial extremamente baixo da população mais pobre".

Sociólogo Miguel de Barros 05/08/2017 ouvir

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.