Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 23/08 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 25/08 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 25/08 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/08 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 23/08 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 25/08 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 25/08 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/08 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 23/08 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 25/08 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 25/08 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/08 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 23/08 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 25/08 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 25/08 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/08 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Guiné-Bissau

Princípio do fim do franco CFA?

media francos CFA. RFI/Paulina Zidi

A manutenção ou não do franco CFA tem suscitado um amplo debate com muitos sectores africanos a denunciarem um instrumento tido como neo-colonial por parte da França que seria responsável pelo empobrecimento dos países da zona. Críticas rejeitadas pelo ministro guineense das Finanças, João Amadu Fadiá.

O franco das colónias francesas em África -CFA- foi criada no dia 25 de Dezembro de 1945 pelo general francês De Gaulle. Actualmente a moeda tem a designação de cooperação financeira africana, e é utilizada por mais de 155 milhões de habitantes nas Comores, Benim, Burkina Faso , Costa do Marfim, Guiné-Bissau, Mali, Níger, Senegal, Togo, Camarões, República Centro Africano, Congo , Gabão, Guiné Equatorial e no Chade.

Contudo a manutenção da moeda tem motivado um forte debate com muitos sectores africanos a denunciarem o franco CFA como um instrumento tido como neo-colonial por parte da França que seria responsável pelo empobrecimento dos países da zona.

Críticas rejeitadas pelo ministro guineense das Finanças, João Amadu Fadiá, que não vê o franco CFA como um instrumento tido neo-colonial e lembra que há um banco central cujo governador é nomeado pelos Estados membros.

" O debate quando dizem que é uma moeda ligada às antigas colónias e que tem a ver, enfim, com aspectos coloniais, eu digo que é muito falso. Porque temos um banco central cujo governador é nomeado pelos Presidentes dos Estados membros", admite.

O ministro lembra ainda que a política monetária é definida e conduzida pelo banco central.

Se por um lado há quem defenda que o franco CFA é uma moeda estável ao contrário do naira da Nigéria e do rande da África do Sul, moedas flutuantes e que sofrem com a desvalorização das matérias-primas. Outros acusam o franco CFA de ser uma moeda que favorece apenas os interesses da França, antiga potência colonial.

Com a colaboração de Allen Yero Embalo.

João Aladji Amadu Fadia, ministro das Finanças da Guiné-Bissau 20/09/2017 ouvir

 

 

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.