Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 11/11 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 16/11 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 11/11 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/11 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 11/11 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 16/11 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 11/11 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/11 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 11/11 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 16/11 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 11/11 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/11 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 11/11 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 16/11 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 11/11 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/11 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.

20 anos depois da guerra civil da Guiné-Bissau

20 anos depois da guerra civil da Guiné-Bissau
 
Afonso Té, líder do PRID e antigo Chefe de Estado-Maior adjunto das Forças Armadas aquando da guerra civil de 1998-99, na RFI em Dezembro de 2013. Liliana Henriques / RFI

Há vinte anos, no dia 7 de Junho de 1998, deu-se o início da guerra civil na Guiné-Bissau. Naquele dia, o brigadeiro Ansumane Mané, que tinha acabado de ser demitido das suas funções de Chefe de Estado-Maior das Forças Armadas pelo então Presidente Nino Vieira que o acusava de ser responsável do tráfico de armas do exército guineense para a guerrilha da Casamança, no vizinho Senegal, conduziu um levantamento militar que resvalou para uma guerra civil. Vários meses e cerca de 2000 mortos depois (segundo estimativas de ONGs), o equilíbrio de forças inverteu-se em desfavor do Presidente Nino Vieira que se viu forçado ao exílio em 1999, antes de ser eleito em 2000 um novo Presidente, Kumba Yalá. Nessa época conturbada, Afonso Té, actualmente líder do Partido Republicano para a Independência e Desenvolvimento (PRID), foi nomeado por Nino Vieira Chefe de Estado-Maior adjunto das Forças Armadas. Ao fazer um balanço desse período, Afonso Té evoca as causas que foram apontadas para a génese da guerra.


Sobre o mesmo assunto

  • GUINÉ-BISSAU

    Guiné-Bissau/Nino Vieira: Nazaré Vieira indignada com arquivamento

    Saber mais

  • África

    Assassínios de 2009 : imbróglio jurídico guineense

    Saber mais

  • Guiné-Bissau

    Guiné-Bissau: exército recruta

    Saber mais

  • GUINÉ-BISSAU

    Guiné-Bissau: comunidade internacional saturada com instabilidade

    Saber mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
As emissões
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.