Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 22/07 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 21/07 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/07 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 21/07 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 22/07 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 21/07 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/07 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 21/07 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 22/07 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 21/07 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/07 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 21/07 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 22/07 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 21/07 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/07 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 21/07 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.

Moçambique: Estado não controla emissão de documentos de identidade

Moçambique: Estado não controla emissão de documentos de identidade
 
Semlex.com

As autoridades sul africanas alertaram para o elevado número de passaportes moçambicanos diplomáticos ou de serviço, utilizados para atravessar a fronteira comum entre estes dois países: 1500 em apenas uma semana, na sua maioria na posse de cidadãos não moçambicanos.

A empresa de direito belga SEMLEX que opera em Moçambique desde 2009, através de um contrato atribuido sem concurso público, sob a forma de parceria público privada (PPP), tem o monopólio em Moçambique da emissão de bilhetes de identidade, passaportes, vistos ou ainda documentos de residência para estrangeiros, revertendo ao Estado apenas 8% das receitas arrecadadas pela emissão.

O jornalista moçambicano de investigação Lázaro Mabunda, foi o responsàvel de um relatório publicado em 2015 pelo Centro de Integridade Pública, denunciando graves irregularidades na constituição da SEMLEX e o não respeito pelos compromissos assumidos.

Este membro do MISA Moçambique alega que a SEMLEX - expulsa da Guiné Bissau e presente também na RDC - só opera em países com "regimes falhados, entrou no país de forma irregular sob a alçada dos serviços secretos...controla não só o software como toda a base de dados dos cidadãos moçambicanos e estrangeiros residentes no país" e interroga-se mesmo se esta pode constituir um "sindicato de crime organizado".
 


Sobre o mesmo assunto

  • Moçambique

    Moçambique: Armando Guebuza tem que ser ouvido pela justiça

    Saber mais

  • Convidado

    Moçambique: "EMATUM GATE" comentado por Tomás Vieira Mário

    Saber mais

  • Convidado

    Moçambique: exigida responsabilização criminal pela dívida ocultada

    Saber mais

  • Convidado

    Armando Guebuza e comunidade internacional mandam em Moçambique

    Saber mais

  • Moçambique

    Moçambique : FMI pede esclarecimentos sobre a dívida da EMATUM

    Saber mais

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
As emissões
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.