Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 16/09 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 15/09 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/09 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 16/09 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 15/09 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/09 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 16/09 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 15/09 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/09 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 16/09 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 15/09 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/09 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Moçambique

Moçambique: exportação ilegal de madeira pode afectar património florestal

media Zona florestal em Moçambique Macua Blogs

As autoridades moçambicanas denunciaram a exportação ilegal de madeira para a China através do Porto de Nacala, na província de Nampula, no norte de Moçambique. O tráfico foi revelado por Luís Sande, chefe dos Serviços Provinciais de Floresta e Fauna Bravia.

As autoridades florestais em Nampula, abortaram a exportação ilegal para a China de Madeira de grande valor comercial em três contentores do Porto de Nacala, no norte de Moçambique.A revelação foi feita por Luís Sande , chefe dos Serviços Provinciais de Floresta e Fauna Bravia.

 De acordo com a Direcção Nacional dos Serviços de floresta e fauna Bravia,na região central de Moçambique 12 fiscais florestais poderão perder o seu estatuto de funcionários públicos. Os mesmos correm o risco de ser expulsos do seu sector e responsabilizados judicialmente se se provar o seu envolvimento em esquemas de exploração ilegal de recursos naturais, nas circunstâncias ,o tráfico de madeira para a República Popular da China.

 Um relatório divulgado em fins de 2016 pela Agência Ambiental de Investigação, com sede em Londres, na Grã-Bretanha, revelou que a densidade florestal de Moçambique poderá ser fortemente afectada dentro de um período avaliado entre 5 à dez anos. As organizações não-governamentais envolvidas em acções a favor do equilíbrio e preservação do património florestal moçambicano, afirmam que não obstante a existência de leis sobre a Floresta e Fauna Bravia no país da África Austral, como o artigo 44, que estipula nomeadamente o regulamento e a aplicação de multas, a apreensão dos equipamentos utilizados no tráfico ilegal de madeira, bem como a suspensão de licenças, o concelamento das actividades e a proibição de exploração durante um ano para os infractores, várias empresas implicadas em crimes de exportação ilegal prosseguem as suas actividades.

Segundo a Agência Ambiental de Investigação ,algumas das empresas identificadas com a exportação ilegal de madeira em Moçambique( Modif,Senlian,Fan Shi, Pingos Marinha, Verdura Lda) teriam laços com políticos nacionais.

 Estatísticas divulgadas em 2012, revelam que firmas chinesas importaram entre 189.615 e 215.654 metros cúbicos de madeira, exportados ilegalmente de Moçambique. Na época o referido volume representava 48% das importações chinesas , provenientes do país da África austral.

 

Correspondência de Moçambique 21/05/2017 ouvir

 

 

 

 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.