Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 10/12 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 11/12 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 10/12 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 11/12 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 10/12 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 11/12 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 10/12 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 11/12 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 10/12 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 11/12 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 10/12 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 11/12 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 10/12 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 11/12 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 10/12 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 11/12 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Moçambique

Governo moçambicano prevê cortes de despesas em 2018

media Ministro moçambicano da Economia Adriano Maleiane DR

O ministro moçambicano da economia e finanças anunciou que foi aprovado ontem um pacote de medidas de contenção das despesas dos dirigentes de Estado que vão gerar uma poupança de uns 101 milhões de euros para o ano que vem.

Adriano Maleiane referiu que em 2018, a despesa pública vai representar um pouco mais de 30% do PIB enquanto representava cerca de 43% em 2014.

Em declarações à imprensa, o titular do pelouro das finanças explicitou que essas poupanças vão traduzir-se nomeadamente na imposição de um tecto para a renda de casa dos responsáveis e entidades do Estado, o que poderá representar uma economia de um pouco mais de 15 milhões de Euros.

A partir de 2018, Adriano Maleiane referiu que vão ser igualmente aplicados limites relativamente à aquisição de veículos protocolares e balizas para o consumo de combustível, o que poderia traduzir-se numa poupança de 3,4 milhões de Euros.

Desde 2015, Moçambique tem estado a atravessar uma crise económica agravada pelo peso da sua dívida, o que levou os parceiros do país, nomeadamente o FMI e o Banco Mundial a suspender o seu apoio a este país que depende ainda muito dos contributos internacionais para o seu orçamento.

Em 2018, o executivo moçambicano prevê uma despesa total de uns 4 mil milhões de Euros, um aumento de 11% comparativamente com este ano, num contexto em que o défice orçamental ronda os 3,9% do PIB, uma diminuição relativamente às previsões de 2017 de 6,1% de défice.

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.