Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 19/09 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 15/09 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 19/09 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 15/09 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 19/09 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 15/09 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 19/09 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 15/09 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Moçambique

Reclusas maltratadas em cadeias de Maputo

media Antiga cadeia civil, agora estabelecimento Especial Preventivo, onde há denúncias de mulheres maltratadas DR/Cadeia civil Maputo

Mais de 50 reclusas foram maltratadas, torturadas e violentadas sexualmente na semana passada no Estabelecimento Especial Preventivo de Maputo. Uma denúncia feita  pela Associação Para Regeneração e Reinserção do Jovem Recluso. A direcção do estabelecimento prisional recusa prestar declarações à imprensa.

A Associação Para Regeneração e Reinserção do Jovem Recluso (APREJOR), denuncia a prática de maus tratos a perto de meia centena de reclusas da ala feminina do Estabelecimento Especial Preventivo de Maputo, antiga cadeia civil.

Tudo terá acontecido, de acordo com a denúncia, na segunda-feira, 02 de abril de 2018 quando a guarda prisional invadiu na calada da noite as celas para revista com o objectivo de neutralizar equipamentos e materiais considerados proíbidos no interior do estabelecimento penitenciário.

Para Seródio Towo, responsável da APREJOR, "o nosso objectivo é que sejam responsabilizados os autores para desencorajar este tipo de prática". 

Para reagir a esta acusação da acção da guarda prisional que semeou pânico no seio das reclusas que narraram verdadeiros momentos de maus tratos, tortura e violência sexual, a  direcção do estabelecimento que recusou a dar entrevista remeteu a nossa reportagem à Direcção Nacional Penitenciário para  possíveis esclarecimentos. 

De Maputo, o nosso correspondente, Orfeu Lisboa.

Orfeu Lisboa, correspondente em Maputo 10/04/2018 ouvir

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.