Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 16/10 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 13/10 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/10 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 16/10 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 13/10 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/10 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 16/10 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 13/10 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/10 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 16/10 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 13/10 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 16/10 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Moçambique

Crise económica em Moçambique pode afectar construção civil

media Sector das obras públicas pode ser afectado em 2019 pela crise económica Alexandra Brangeon/RFI

A situação das construtoras é muito complicada face à crise económica que atinge Moçambique, particularmente, o sector das obras. Cerca de 700 empresas correm o risco de fechar as portas em 2019, devido a esta situação de crise, afirma a Federação moçambicana dos empreiteiros.

É um alerta da Federação moçambicana dos empreiteiros, que diz que a situação das construtoras é complicada face à crise que afecta Moçambique.

"700 empresas poderão fechar as portas no próximo ano, se não forem capazes de adjudicarem as obras", afirma, Manuel Pereira, Pesidente da Federação moçambicana dos empreiteiros.

Por detrás desta situação, está uma série de factores, incluindo a concorrência desleal de empresas estrangeiras, sublinha, Manuel Pereira.

"O estado moçambicano deveria ter a noção que quando essas empresas são contratadas deveria partilhar pelos seus trabalhos com as empresas nacionais."

A Federação moçambicana dos empreiteiros, confirma que o governo começou a pagar parte da dívida de muitos milhões de dólares, resultantes da prestação de serviços na última década do sector privado.

De Maputo, o nosso correspondente, Orfeu Lisboa.

Orfeu Lisboa, correspondente, em Maputo 18/12/2018 ouvir
Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.