Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 18/10 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 19/10 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/10 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/10 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 18/10 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 19/10 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/10 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/10 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 18/10 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 19/10 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/10 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/10 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 18/10 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 19/10 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/10 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/10 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Mundo

Manifestantes pró e contra referendo voltam às ruas no Egito

media Novo protesto nesta terça-feira no Cairo. REUTERS/Khaled Abdullah

Dia de protestos e de tensão no Egito. Manifestações pró e contra o presidente Mohamed Mursi estão previstas no Cairo sobre referendo previsto neste sábado sobre a nova Constituição do país.

O referendo sobre a nova Constituição marcado para o próximo sábado, 15 de dezembro, continua dividindo o Egito. A Irmandade Muçulmana, movimento que apoia o presidente Mohamed Mursi, convocou uma grande manifestação nesta terça-feira no Cairo para defender o referendo e o texto constitucional de acentuada tonalidade islâmica.

Já a oposição de esquerda laica e os liberais convocaram protestos contra o a realização da consulta popular. Temendo novas cenas de violência, ontem, o presidente egípcio reforçou as prerrogativas do Exército e da polícia para que garantam a segurança nas ruas até a proclamação do resultado do referendo.

Na semana passada, confrontos entre partidários e opositores do presidente egípcio deixaram sete mortos. Esta é a pior crise política no Egito desde a eleição de Mohamed Mursi em junho passado. Ela traduz a divisão profunda do país, dois anos após a revolta popular que derrubou Hosni Mubarak do poder.

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.