Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 24/05 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 19/05 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/05 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 24/05 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 24/05 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 19/05 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/05 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 24/05 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 24/05 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 19/05 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/05 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 24/05 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 24/05 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 19/05 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/05 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 24/05 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Mundo

Coreia do Norte vai reativar reator nuclear desligado em 2007

media Complexo nuclear de Yongbyon, próximo da capital norte-coreana. REUTERS/Kyodo (NORTH KOREA

A Coreia do Norte elevou hoje seu nível de ameaça contra a Coreia do Sul e os Estados Unidos anunciando a reativação e modernização de todas as instalações que fazem parte do complexo nuclear de Yongbyon, incluindo um reator desativado em 2007, considerado a espinha dorsal do programa atômico do país.

A central nuclear, localizada a 96 km da capital Pyongyang, abriga instalações de enriquecimento de urânio e um reator de 5 megawatts que permite a produção de plutônio, combustível utilizado na fabricação de eventuais armas atômicas. Há suspeitas de que o regime norte-coreano teria plutônio suficiente para produzir entre quatro e oito bombas atômicas.

Segundo a agência oficial KCNA, a reativação do reator de Yongbyon irá "reforçar em qualidade e quantidade o arsenal nuclear do país, e resolver graves problemas de escassez de energia".

Em junho de 2008, quase um ano depois de fechar Yongbyon, a Coreia do Norte demoliu a torre de resfriamento do complexo, mas nunca permitiu à ONU realizar vistorias no local. Na semana passada, os Estados Unidos revelaram ter imagens de satélite que mostram novas construções e grandes obras de escavação na usina nuclear.

A China lamentou que a Coreia do Norte vá reativar seu reator. Nos Estados Unidos, o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, recebe esta noite em Washington o chanceler sul-coreano Yun Byung-se para discutir a escalada nuclear norte-coreana.

No sábado, o regime de Pyongyang declarou estar em "estado de guerra" com a Coreia do Sul e ameaçou lançar mísseis contra os Estados Unidos. A Casa Branca leva a sério as ameaças e já posicionou um destroyer capaz de interceptar mísseis, além de reforçar a presença militar na península coreana.
 

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.