Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 15/10 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 13/10 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/10 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 15/10 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 13/10 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/10 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 15/10 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 13/10 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/10 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 15/10 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 13/10 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/10 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Mundo

Haiti tem novo primeiro-ministro

media Fritz-Alphonse Jean, novo primeiro-ministro haitiano lenational.ht

Fritz-Alphonse Jean foi nomeado, esta sexta-feira, como primeiro-ministro do Haiti pelo Presidente interino, Jocelerme Privert, dez dias depois da eleição do presidente interino, pelo Senado, eleições que desenharam uma saída para a crise política que se vive no país.

O próximo passo do antigo governador do Banco Central Nacional, Fritz-Alphonse Jean, será a constituição do governo, antes de apresentar o projecto político diante dos deputados e senadores. Face a uma classe política muito polarizada, o chefe do executivo vai apostar numa política de união.

" O debate é o único meio para podermos salvar o Haiti. Temos de saber identificar os diferentes valores que estão presentes no país, encontrar uma maneira de os colocar em comum e assim encontrar as energias necessárias para fazer face aos nossos problemas", declarou o novo primeiro-ministro à rádio privada do Hati.

Esta nomeação é mais um passo para a saída da crise política na qual está mergulhado há já vários meses o país. Em causa os sucessivos atrasos na segunda volta da eleição presidencial, por causa da contestação da oposição, atrasos que fizeram com que Presidente Michel Martelly acabasse o mandato, a 7 de Fevereiro,  sem que tivesse sido eleito um sucessor.

O haitiano Rafael Lucas, professor catedrático na Universidade de Bordéus, fala dos desafios do novo chefe de governo.

Rafael Lucas - Professor Universitário 27/02/2016 ouvir

Um acordo assinado antes da saída de Martelly

Este acordo deu ao Parlamento a responsabilidade de eleger um presidente interino para preencher o vazio institucional. A 15 de Fevereiro, os deputados e senadores, nomearam Jocelerme Privert como chefe de Estado de transição. O antigo presidente do Senado tem como missão, no mandato de 120 dias, de acabar o processo eleitoral, todavia esta missão está longe de ser uma formalidade no país.

No país aguarda-se ainda a composição do Conselho eleitoral provisório CEP- o órgão responsável pela organização do escrutínio. O CEP resultou de longas negociações entre o poder e a oposição. Entretanto, antes da retoma do processo eleitoral, vários partidos políticos e organizações da sociedade civil reclamam a constituição de uma comissão independente para averiguar casos de irregularidades que perturbaram a primeira volta das eleições presidenciais.

"Farsa ridícula"

Na primeira volta das eleições a 25 de Outubro, o candidato do poder, Jovenel Moise, conquistou 32,76% dos votos, contra 25,29% obtidos por Jude Célestin que qualificou os resultados como uma "farsa ridícula". Depois do anuncio dos resultados e até à anulação do escrutínio, a oposição multiplicou as manifestações para denunciar "um golpe de Estado Eleitoral".

A perspectiva de uma transição política a longo termo constituiu um entrave para a frágil economia do país mais pobre das Caraíbas. A instabilidade política fasta os possíveis investidores, agrava a inflação e penaliza os cerca de 60% de haitianos que vivem no limiar da pobreza.

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.