Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 26/06 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 23/06 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 26/06 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 23/06 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 26/06 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 26/06 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 23/06 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 26/06 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 26/06 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 23/06 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 25/06 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 25/06 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
África

Ali Bongo investido para novo mandato de presidente do Gabão

media Ali Bongo aquando das presidenciais do passado 27 de Agosto de 2016. REUTERS/Gerauds Wilfried Obangome

Num clima em que a memória das violências pós-eleitorais ainda está viva, depois da polémica em torno da sua reeleição face ao seu rival Jean Ping que contestou os resultados que lhe deram 50, 66% dos votos, Ali bongo foi investido para um segundo mandato de 7 anos na presidência do Gabão. Durante a cerimónia de investidura, Bongo reconheceu as dificuldades que o seu país está a atravessar, apelou ao diálogo indicando que iria nomear um governo nos próximos dias, o seu porta-voz tendo dado a entender que poderia tratar-se de um governo de abertura.

Ao esboçar como eixos da sua política a criação de "igualdade de oportunidades" e o estabelecimento de uma "economia emergente no horizonte 2025", o presidente gabonês referiu igualmente que o seu executivo "não iria poupar os esforços para manter o bom entendimento com os seus parceiros tradicionais".

Contudo, a nível internacional, o entendimento é outro. A assistir a esta cerimónia de investidura estiveram os presidentes do Mali, Níger, Togo e São Tomé e Príncipe. A nível de chefes de governo, estiveram os primeiros-ministros do Senegal, Chade, Congo, Marrocos e República Centro-Africana. A França bem como os Estados Unidos fizeram-se representar pelos seus respectivos embaixadores em Libreville.

Com efeito, ainda no Sábado, o chefe da diplomacia francesa Jean-Marc Ayrault, lamentou que a análise do recurso da oposição junto da justiça "não tenha conseguido levantar as dúvidas que pairam sobre a reeleição do presidente gabonês". No mesmo sentido, a União Europeia, cujos observadores têm sido bastante críticos em relação ao decorrer das presidenciais, também lamentou no Domingo que o "Tribunal Constitucional não tenha conseguido rectificar de forma satisfatória as anomalias observadas durante o processo eleitoral".

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.