Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 19/09 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 15/09 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 19/09 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 15/09 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 19/09 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 15/09 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 19/09 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 15/09 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Mundo

Donald Trump: o que serão os seus primeiros 100 dias como Presidente

media  
Donald Trump , Presidente-eleito dos Estados Unidos . Novembro de 2016 REUTERS/Carlo Allegri/File Photo

O presidente-eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou através de um video publicado nas redes sociais quais serão as suas primeiras medidas logo a seguir a sua tomada de posse , no dia 20 de Janeiro de 2017. Matérias como a construção do muro para impedir a imigração ilegal de mexicanos para os Estados Unidos, a supressão do sistema de saúde conhecido pelo vulgo Obamacare, bem como a expulsão de imigrantes ilegais , não figuram nas medidas previstas nos primeiros 100 dias de Donald Trump, como presidente.

 

Segundo o presidente-eleito dos Estados Unidos, Donald Trump ,a agenda política dos seus primeiros 100 dias de governo será baseada num princípio simples, "a América em primeiro lugar".  Quer seja para a produção de aço, a construção de automóveis ou a saúde, desejo que a próxima geração de produtos e inovações seja realizada nos Estados Unidos" , afirmou Donald Trump.

 Não obstante o slogan "America first", Donald Trump poderá contribuir para a retoma da economia mundial, graças ao gigantesco plano de recuperação das infraestruturas americanas por ele proposto. De acordo com Beth Ann Bovino, economista da agência de rating S&P(Standard & Poor),o plano de recuperação do presidente-eleito dos Estados Unidos , avaliado em 550 mil milhões de dólares pela sua administração, poderá ser positivo se o mesmo for implementado judiciosmanente. Reticentes quando Trump anunciou o referido projecto durante a campanha eleitoral, numerosos economistas assim como o Fundo Monetário Internacional, consideram agora que os investimentos colossais poderão relançar o crescimento da economia mundial em plena estagnação.

Contudo uma incógnita paira sobre o futuro do acordo TPP( Parceria Comercial Transpacífica) impulsionado pelo Presidente cessante Barack Obama e assinado em 2015. O referido tratado comercial ainda não ratificado pelo congresso americano e o Presidente-eleito Donald Trump, afirmou que uma dos suas primeiras decisões ,será retirar os Estados do TPP. Para além dos Estados Unidos, estão ligados ao acordo, a Austrália,o Brunei, o Canadá, o Chile, o Japão, a Malásia,o México, a Nova Zelândia, o Peru, bem como Singapura e o Vietname.Donald Trump acha que a Parceria Comercial Transpacífica(TPP) é "terrível" e viola os interesses dos trabalhadores americanos. O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, já declarou que a continuidade do TPP sem a participação dos Estados Unidos não faz sentido. Para que entre em vigor, a Parceria Comercial Transpacífica(TPP) tem que ser ratificada pelo congresso americano. Face à essa perspectiva, a China , que não obstante ser a segunda economia mundial foi excluída do TPP, tomou a iniciativa da criação da RCEP(Regional Comprehensive Economic Partnership), um acordo de livre-troca visando a integração dos países da sua região.

 

               

 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.