Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 10/12 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 11/12 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 10/12 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 11/12 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 10/12 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 11/12 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 10/12 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 11/12 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 10/12 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 11/12 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 10/12 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 11/12 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 10/12 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 11/12 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 10/12 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 11/12 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Mundo

Irlanda do Norte vai a votos

media Irlanda do Norte vai a votos © Julien Lagache

Os irlandeses são chamados esta quinta-feira às urnas para eleger o parlamento regional. Uma eleição que acontece debaixo de fortes tensões, com o Brexit e o regresso das fronteiras a inquietar a província britânica. Esta é a segunda vez que os irlandeses votam em menos de um ano, num escrutínio onde serão eleitos 90 deputados, menos 18 do que nas últimas eleições.

Nesta eleição o partido Democrático Unionista e o Sinn Féin, dados como favoritos, têm como missão formar um governo. Todavia ao longo da campanha evidenciaram-se as diferenças entre os dois partidos e vários analistas alertam para os perigos de instabilidade, caso não seja possível alcançar um acordo para um governo de coligação.

O próprio ministro para a Irlanda do Norte, James Brokenshire, lembrou que estas eleições podem por em causa a continuidade da autonomia das instituições e em último caso o regresso de Belfast ao controlo de Londres. O responsável político ressalvou ainda que este escrutino é importante para a Irlanda do Norte para negociar com a União Europeia na sequência do Brexit.

Recorde-se que a Irlanda do Norte votou 56% contra o “Brexit”, na altura defendido pelos unionistas. Um resultado que veio acelerar a crise política, mas não é a razão para as eleições antecipadas. A instabilidade vigora desde o início do ano após a demissão do vice-primeiro-ministro, à data líder do Sinn Féin, Martin McGuiness, na sequência de um escândalo financeiro e de corrupção à volta do programa de subsídios públicos às energias renováveis.

O escândalo pôs em causa a imagem de competência de Arlene Foster, a mentora do programa, e também a sua manutenção à frente do partido unionista, mesmo no caso de uma nova vitória eleitoral.

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.