Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 21/01 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 22/01 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 21/01 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/01 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 21/01 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 22/01 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 21/01 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/01 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 21/01 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 22/01 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 21/01 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/01 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 21/01 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 22/01 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 21/01 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/01 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.

Turquia: SIM confere poder quase absoluto a Erdogan

Turquia: SIM confere poder quase absoluto a Erdogan
 
Parditários do Presidente Erdogan festejam a vitória do SIM "uma lição ao Ocidente" . REUTERS/Alkis Konstantinidis

Mais de 80% dos 55 milhões de turcos participaram este domingo (16/04) no referendo visando dar poderes quase absolutos ao Presidente Recep Tayyip Erdogan, eleito em 2014 e que foi primeiro ministro entre 2003 até 2014.

18 emendas constitucionais foram submetidas ao voto dos eleitores, como a supressão do posto de primeiro ministro ou o fim do actual regime parlamentar laico, mas nos boletins de votos apenas figuravam as opções SIM e NÃO.

51,3% de eleitores turcos votaram SIM e 48,7% votaram NÃO, uma "vitória muito tangencial"  e os dois principais partidos da oposição CHP - Partido Republicano do Povo (social-democrata laico) e HDP - Partido Democrático dos Povos (pró curdo) denunciam fraudes e pedem a recontagem de mais de um terço dos votos.

Estes resultados ainda provisórios, demonstram a profunda polarisação no país, dirigido com mão de ferro pelo Presidente Recep Tayyp Erdogan, que entre outros pretende reinstaurar a pena de morte na Turquia, o que significaria uma ruptura nas negociações sobre a adesão do país à União Europeia, o que Erdogan pretende também submeter a referendo.

A repressão intensificou-se depois do golpe de estado militar falhado de 15 de Julho de 2016, que culminou com a instauração do estado de emergência e a detenção de milhares de funcionários nos sectores da justiça, educação, serviços secretos, forças de segurança, ou ainda de uma centena de jornalistas.

O país tem novas eleiçoes legislativas e presidenciais em 2019 e com as alterações à Constituição o Presidente Erdogan poderá manter-se no poder até 2029.

Para abordar estas e outras questões ouvimos o deputado social-democrata português Duarte Marques, que foi um dos observadores a este escrutínio designado pelo Conselho da Europa, do qual a Turquia é membro pleno e que admite que o dia do voto foi o momento mais transparente de todo o processo eleitoral, ao qual esta instituição faz sérias críticas, a começar pela falta de equidade.
 


Sobre o mesmo assunto

  • TURQUIA

    Turquia: União Europeia reage com prudência a referendo

    Saber mais

  • Mundo

    Referendo decide futuro da Turquia

    Saber mais

  • Mundo

    Último dia de campanha pelo referendo na Turquia

    Saber mais

  • Revista de Imprensa

    Turquia/União Europeia: Erdogan atiça a chama nacionalista

    Saber mais

  • MOÇAMBIQUE

    Turquia pede ajuda de Moçambique na luta contra dissidentes

    Saber mais

  • Portugal: caso Manuel Vicente separado da Operação Fizz

    Portugal: caso Manuel Vicente separado da Operação Fizz

    Começou esta segunda-feira (22/01) em Lisboa o julgamento do caso Operação Fizz que entre os quatro arguidos envolve Manuel Vicente, que foi vice-Presidente …

  • Donald Trump: ano I

    Donald Trump: ano I

    Faz este Sábado um ano que Donald Trump foi investido como Presidente dos Estados Unidos, um ano de uma presidência feita de múltiplos choques, nomeadamente …

  • Recta final antes das intercalares de Nampula

    Recta final antes das intercalares de Nampula

    No dia 24 de Janeiro estão previstas eleições intercalares em Nampula no norte de Moçambique, na sequência do assassinato no passado …

  • Guiné-Bissau: e agora?

    Guiné-Bissau: e agora?

    Ontem, o Presidente guineense aceitou a demissão do Primeiro-Ministro Umaro Cissoko Embalo, uma decisão que coincidiu com o fim do prazo estipulado pela …

  • "Dramático declínio de liberdade" na Guiné-Bissau

    A liberdade no mundo atingiu em 2017 o pior nível em 12 anos. A conclusão é da Freedom House que hoje publicou o seu relatório anual sobre …

  • Clima volátil em São Tomé e Príncipe

    Clima volátil em São Tomé e Príncipe

    Promulgada a lei para a criação do Tribunal Constitucional, foram eleitos hoje os 5 juízes desta entidade numa sessão parlamentar movimentada …

  • A dança falada de

    A dança falada de "Act est Fabula"

    Em palco cinco bailarinos, cada um assume os seus movimentos individuais num grupo colectivo dirigido, pelo coreógrafo israelita Yuval Pick. O espectáculo …

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
As emissões
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.