Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 25/06 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 23/06 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 25/06 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 23/06 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 25/06 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 25/06 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 25/06 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 23/06 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 24/06 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 24/06 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 23/06 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/06 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 24/06 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Urgente
UNITA convoca Congresso para 13 de Novembro
Mundo

EUA não certifica acordo com o Irão

media O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump REUTERS/Kevin Lamarque

O Presidente norte-americano, Donald Trump, acaba de anunciar que não vai certificar o acordo nuclear com o Irão e deixa mesmo o aviso que poderá vir a retirar-se do mesmo.

Donald Trump afirmou que não vai certificar o acordo nuclear por considerar que este é o pior acordo de sempre e ainda pelo facto de o Irão não estar a respeitar os compromissos assumidos.

A legislação dos Estados Unidos obriga o presidente a “certificar” ou não, diante do Congresso, cada três meses, que Teerão está a respeitar o acordo e que este continua a respeitar os interesses dos EUA.

O Congresso tem agora dois meses para decidir que medidas a adoptar, o que poderá traduzir-se na imposição de novas sanções ao Irão.

O presidente norte-americano anunciou ainda que vai adoptar uma política mais fechada para com a Republica Islâmica do Irão. A decisão que já foi saudade pelo primeiro-ministro israelita, Benyamin Netanyahou, já a chefe da diplomacia europeia Federica Mogherini disse que a decisão de um único país não pode por em causa o acordo nuclear com o Irão.

O acordo de Viena foi assinado em 2015 pelos Estados Unidos, a China a Rússia, a França, o Reino Unido e a Alemanha.

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.