Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 13/09 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 15/09 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/09 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 13/09 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 15/09 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/09 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 13/09 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 15/09 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/09 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 13/09 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 15/09 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/09 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Mundo

Donald Trump iniciou visita à China

media Melania e Donald Trump acompanhados pelo presidente chinês, Xi Jinping, e a mulher, Peng Liyuan. 8 de Novembro de 2017. Jim WATSON / AFP

Depois do Japão e da Coreia do Sul, o presidente norte-americano, Donald Trump, chegou à China para uma visita de dois dias. Os líderes das duas maiores economias do mundo vão ter várias reuniões centradas em questões comerciais e no programa nuclear de Pyongyang.

É uma das etapas mais delicadas do périplo asiático. Há um ano, antes de ser presidente dos Estados Unidos, Donald Trump acusou a China de ter “roubado” milhões de empregos aos Estados Unido. Agora, antes de partir para a visita à Ásia, afirmou que o défice norte-americano na balança comercial com Pequim "é tão mau que dá vergonha".

Apesar das críticas, o líder norte-americano quer pressionar a China a parar de apoiar a Coreia do Norte, uma vez que Pequim é o principal aliado diplomático e comercial de Pyongyang. A China votou a favor das últimas sanções da ONU contra a Coreia do Norte e opõe-se ao seu programa nuclear, mas rejeita as ameaças de Donald Trump e defende o diálogo.

Na véspera da chegada de Trump, foram já assinados acordos comerciais no valor de 9 mil milhões de dólares, mas o presidente americano falou em “graves desequilíbrios nas relações económicas bilaterais, não apenas em termos do défice comercial – que este ano já atingiu os 223 mil milhões de dólares – mas também no acesso ao mercado e na transferência de tecnologia.

À chegada a Pequim, Donald Trump foi recebido no aeroporto com guarda de honra, banda de marcha e crianças a entoar "bem-vindo". Depois, esteve na Cidade Proibida onde assistiu a um espectáculo com música e dança, acompanhado pelo seu homólogo chinês e as respectivas esposas.

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.