Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 23/08 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 25/08 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 25/08 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/08 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 23/08 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 25/08 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 25/08 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/08 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 23/08 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 25/08 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 25/08 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/08 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 23/08 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 25/08 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 25/08 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/08 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Mundo

Honduras: tensão enquanto se espera por novo presidente

media  
Partidários de Salvador Nasralla enfrentam as forças da ordem em Tegucigalpa.30 de Novembro de 2017 REUTERS/Edgard Garrido

Escalada da tensão no Honduras com em pano de fundo acusações de fraude eleitoral. Tanto o presidente cessante, Juan Orlando Hernandez, candidato da direita liberal, como o seu rival de esquerda, Salvador Nasralla, reivendicam a vitória na eleição presidencial de domingo passado. Até ao momento não se sabe quem será o novo chefe de Estado do Honduras. O governo vigente decretou o recolher obrigatório, perante os distúrbios ocorridos em várias regiões do país da América central.

O estado de emergência decretado pelo governo de Juan Orlando Hernandez deverá durar dez dias , durante os quais a polícia e as forças armadas do Honduras disporão de poderes excepcionais para actuar em nome da ordem pública. Distúrbios tiveram lugar em várias regiões do país, logo após o anúncio da vitória de Hernandez, candidato da direita, na eleição presidencial de domingo passado.

Salvador Nasralla, rival de esquerda, acusa o presidente cessante de cometer uma fraude eleitoral para conservar o poder . Seis dias depois do escrutínio, os hondurenhos continuam a espera do resultado da eleição presidencial, cujos sufrágios farão objecto neste sábado de um novo apuramento.

A oposição acusa o governo de Juan Orlando Hernandez , de querer roubar a vitória de Nasralla. No decurso das manifestações morreu pelo menos uma pessoa, 20 ficaram feridas e uma centena foram detidas pelas forças de polícia.

Segundo Ebal Diaz , membro do conselho de ministros, as garantias constitucionais do Honduras foram suspensas, para que os militares e a Polícia nacional, possam conter a onda de violência que assolou o país da América central.

Na sexta-feira, os comerciantes fecharam mais cedo os seus estabelecimentos, com receio da violência e das pilhagens.De acordo com as agências noticiosas, saques ocorreram nalguns centros comerciais de Tegucigalpa,capital hondurenha.

 

Depois do apuramento de 70% das mesas de voto , Salvador Nasralla liderava a corrida a presidência do Honduras. Marcos Ramiro Lobo, um dos quatro membros do tribunal eleitoral hondurenho, tinha afirmado que a vantagem de Nasralla era irreversível.

Todavia, após 80% dos sufrágios contados, Juan Orlando Hernandez emergiu como o possível vencedor da eleição, o que segundo observadores desencadeou as suspeitas de irregularidades. Segundo o presidente do tribunal eleitoral David Matamoros, um milhar de urnas vão ser apuradas manualmente.

 

Candidato apoiado pelos Estados Unidos, Juan Orlando Hernandez dispõe actualmente de uma vantagem de menos de 50.000 votos, isto é, mais 1,5% do que Salvador Nasralla. As atenções da comunidade internacional convergem para Honduras, perante o agravamento da crise política. O Honduras regista uma das mais elevadas taxas de homicídios no mundo, devido nomeadamente ao tráfico de drogas .

 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.