Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 15/10 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 13/10 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/10 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 15/10 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 13/10 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/10 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 15/10 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 13/10 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/10 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 15/10 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 13/10 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 13/10 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/10 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Mundo

Angela Merkel deixa política em 2021

media Angela Merkel, chanceler alemã REUTERS/Hannibal Hanschke

 A chefe do governo da Alemanha vai abandonar o cargo de presidente do partido conservador cristão-democrata, CDU, no próximo congresso em Dezembro. Angela Merkel adiantou ainda que não pretende dar indicações ou intervir na decisão sobre o seu sucessor à frente do partido.

O anúncio foi feito hoje, em conferência de imprensa, um dia depois de mais uma pesada derrota nas eleições regionais no estado federado do Hesse, em que o partido de Merkel perdeu 11 pontos percentuais em relação às eleições anteriores.

As últimas eleições regionais e sondagens têm sido desastrosas para os partidos CDU e também para o partido social-democrata, parceiro de coligação de Merkel. A erosão tem sido notória, com perdas significativas dos partidos tradicionais sobretudo para os populistas de direita do partido AFD e o partido dos Verdes de centro-esquerda.

"Não vou ser candidata à presidência do partido no próximo congresso. Este quarto mandato à frente de um governo alemão será o meu último."

Angela Merkel disse - portanto - que pretende manter-se à frente do governo, como chanceler federal até ao fim da legislatura em 2021, mas o governo tem-se mostrado muito instável, com constantes conflitos internos entre parceiros de coligação e ninguém pode garantir que o governo se vai aguentar.

A cena política na Alemanha está a sofrer enormes transformações: os grandes partidos tradicionais correm o risco de desmoronar. Muitos observadores políticos são de opinião de que a Europa precisa de uma Alemanha estável, numa altura de grandes de grandes mudanças políticas e desafios económicos. Angela Merkel prepara-se para abandonar o barco. A Alemanha deixará de contribuir para a estabilidade política no velho continente, dizem alguns observadores.

Correspondência de António Cascais 29/10/2018 ouvir

 

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.