Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 19/04 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 14/04 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/04 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/04 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 19/04 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 14/04 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/04 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/04 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 19/04 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 14/04 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/04 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/04 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 19/04 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 14/04 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/04 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/04 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Mundo

Trump: salários na administração contra muro na fronteira mexicana

media Donald Trump, avisa que se não tiver fundos para muro na fronteira com México não haverá salários na administração federala Reuters

O presidente americano, Donald Trump, ameaçou hoje bloquear por um longo período a administração federal, cortando verbas de funcionamento, se os senadores não aprovarem até meia noite o texto adoptado ontem pela câmara dos representantes, para ter orçamento para construir o seu tão falado muro na fronteira com o México.

O Chefe da Casa Branca, Trump, adopta de novo a sua táctica de ataque agressivo nas negociações para obter o máximo do que exige, ameaçando bloquear toda a administração federal, caso o Senado, não confirme a votação de ontem dos congressistas sobre a construção do muro na fronteira com o México.

Trump, disse estar decidido a cortar verbas de funcionamento da administração federal, por um longo período, se não obtiver os fundos necessários para a construção do muro junto à fronteira mexicana, que é uma promessa de campanha.

A Câmara de representantes votou ontem por 217 a 185 o documento que abre caminho à construção do muro, mas o texto tem de ser referendado pelo Senado americano, até à meia noite desta sexta-feira.

O Presidente Donald Trump, que adopta sempre nas negociações a táctica agressiva de reclamar o máximo, para na pior das hipóteses, sempre obter uma forte percentagem do que exigiu, está disposto, a não assinar os decretos desbloqueando as verbas para pagar os funcionários da administração federal.

Esta prerrogativa presidencial já foi utilizada várias vezes no passado, nomeadamente, pelo ex-presidente, Obama que com os democratas, hoje, criticam Donald Trump.

O actual chefe da Casa Branca, está disposto a conseguir os 5 mil milhões dólares necessários à construção do muro, para impedir a entrada nos Estados Unidos, de imigrantes clandestinos, nomeadamente, mexicanos.

Assim, Donald Trump, acusa, na sua conta Twitter, os democratas, de quererem bloquear a sua promessa de campanha, mas reafirma, que obterá os fundos para a construção do muro duma maneira ou doutra.

Trump necessita de 60 dos 100 senadores, para que o texto seja aprovado, o que quer dizer que vários eleitos democratas terão de votar com os republicanos.

Mas surgiu agora uma outra opção que foge à regra tradicional, mas não é ilegal, com o líder republicano no Senado, McConnell, sugerindo que o texto seja votado por maioria simples, a chamada "opção nuclear" ou votação bloqueada, não sendo pois necessários votos dos senadores democratas.

A ver vamos !!

Presidente Trump quer o muro na fronteira com o México contra salários na administração 21/12/2018 ouvir
Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.