Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 19/07 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 14/07 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/07 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/07 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 19/07 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 14/07 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/07 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/07 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 19/07 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 14/07 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/07 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/07 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 19/07 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 14/07 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/07 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/07 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Urgente
Argélia venceu CAN 2019
Mundo

EUA reforçam presença militar junto da fronteira com o México

media O Presidente americano Donald Trump. REUTERS/Jim Young

O Pentágono anunciou ontem que vão ser enviados 3.750 soldados suplementares para a fronteira com o México no intuito de combater a imigração clandestina, o que multiplica por mais de 7 a presença militar na fronteira sul dos Estados Unidos.

Com este novo reforço, os Estados Unidos chegam a um total de 4.350 homens naquela zona do país, contra 600 até agora. Este desdobramento está previsto para durar 3 meses, o Pentágono referindo que durante esse período vai avaliar a composição das forças necessárias para preencher a sua missão de protecção da fronteira.

Isto acontece numa altura em que Donald Trump mantém a pressão em torno do muro que entende erguer entre o seu país e o México. Apesar do mais longo "shutdown" da História, 35 dias, desde o passado 25 de Janeiro, data em que suspendeu provisoriamente o bloqueio, Trump não conseguiu levar os democratas a rubricarem um qualquer acordo para a construção do seu muro anti-imigração.

Ele estabeleceu um prazo, até ao 15 de Fevereiro, para os eleitos do congresso chegarem a um consenso sobre o financiamento do seu famoso muro. "Com as caravanas que atravessam o México rumo ao nosso país, os republicanos devem estar prontos para fazer o que é necessário para uma segurança sólida na fronteira", escreveu no Twitter o Presidente americano.

Só que ainda na semana passada, Nancy Pelosi, a Presidente democrata da Câmara dos Representantes com quem está patente um braço-de-ferro, reafirmou a sua oposição a essa construção. O seu campo que considera esta solução desumana e cara propôs medidas de vários biliões de Dólares para garantir a segurança fronteiriça, mas nada relativamente ao muro.

Perante este impasse, Trump voltou na Sexta-feira a agitar a possibilidade de declarar o Estado de "urgência nacional", uma alavanca que lhe dá a possibilidade de contornar o voto do congresso.

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.