Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 22/05 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 19/05 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/05 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/05 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 22/05 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 19/05 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/05 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/05 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 22/05 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 19/05 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/05 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/05 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 22/05 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 19/05 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/05 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/05 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.

Marielle, uma memória de amor

Marielle, uma memória de amor
 
Homenagem a Marielle Franco em Paris RFI

A Câmara Municipal do décimo bairro de paris juntou a filósofa Márcia Tiburi à deputada brasileira Mónica Francisco numa conferência em memória de uma das vozes críticas da actuação da polícia militar e exército brasileiro no Rio de Janeiro.

Aos 38 anos, Marielle Franco era vereadora da Câmara do Rio de Janeiro, jovem política promissora, mulher negra vinda da favela, professora de sociologia, feminista, lesbica, militante de esquerda, defensora dos direitos humanos era combatente contra a arbitrariedade da violência.

A académica brasileira Márcia Tiburi, antiga candidata ao governo do Rio pelo PT, viu-se forçada a deixar o seu país por se sentir ameaçada.

No último ano, o nome de Marielle Franco percorreu o mundo e representou a injustiça de quem perde a vida de forma aleatória ou quase aleatória, num país onde, nos últimos dez anos, mais de meio milhão de pessoas foram assassinadas, lembrou Mónica Francisco deputada no Rio de Janeiro.

A Câmara municipal de Paris quer dar o nome Marielle Franco a uma rua da cidade em homenagem à activista brasileira assassinada a 14 de Março de 2018.


Sobre o mesmo assunto

  • BRASIL

    Brasil: ruas denunciam assassínio de Marielle Franco

    Saber mais

  • Brasil

    Brasil continua em choque com o assassinato de Marielle Franco

    Saber mais

  • Seis meses de coletes amarelos em França

    Seis meses de coletes amarelos em França

    A 17 de Novembro mais de 280 mil pessoas saiam para as ruas para bloquear estradas em protesto à subida do preço dos combustíveis, instalando uma crise político-social …

  • Co-produção franco-portuguesa na estreia do ACID de Cannes

    Co-produção franco-portuguesa na estreia do ACID de Cannes

    O ACID é uma das selecções paralelas do Festival de cinema de Cannes. O evento arrancou nesta quarta-feira com a projecção de "Rêves de jeunesse", filme do francês Alain …

  • “A cantiga é uma arma”

    “A cantiga é uma arma”

    A força da música de intervenção também emigrou “a salto” para França nos anos 60, ao ritmo de milhares de portugueses que viravam as costas ao fascismo. Foram vários …

  • Festival Circulation(s) expõe fotógrafos portugueses

    Festival Circulation(s) expõe fotógrafos portugueses

    E espaço cultural 104 recebe até dia 30 de Junho a nona edição do Circulation(s), o festival da jovem fotografia europeia.A galeria Adorna Corações apresentou quatro …

  • "Há um recuo da liberdade pública"

    Esta semana o jornal francês "Le Canaire Enchaîné" denunciou que os Hospitais Públicos de Paris terão utilizado de forma "inadequada" o registo médico dos coletes amarelos …

  • “Nunca mais vamos ver Notre-Dame como a conhecemos”

    “Nunca mais vamos ver Notre-Dame como a conhecemos”

    “Nunca mais vamos ver Notre-Dame como a conhecemos”. A convicção é do historiador de arte Pierre Léglise Costa, que descreve como “um desastre e um cataclismo” o incêndio …

  • França pioneira na UE na fiscalização dos GAFAM

    França pioneira na UE na fiscalização dos GAFAM

    O parlamento francês aprovou esta segunda-feira (8/04) em primeira leitura a aplicação de uma taxa de 3% de impostos sobre as receitas - e não os lucros - das empresas …

  1. 1
  2. 2
  3. 3
  4. ...
  5. seguinte >
  6. último >
As emissões
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.