Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 20/05 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 19/05 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/05 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/05 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 20/05 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 19/05 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/05 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/05 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 20/05 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 19/05 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/05 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/05 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 20/05 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 19/05 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/05 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/05 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Mundo

Justiça brasileira reduz pena a Lula da Silva

media Antigo presidente brasileiro Lula da Silva. REUTERS/Rodolfo Buhrer

O antigo Presidente brasileiro vai, assim, cumprir oito anos e dez meses de pena. Em Setembro, quando cumprir um sexto da pena, pode passar para o regime semi-aberto.

Os juízes do Superior Tribunal de Justiça brasileiro decidiram, de forma unânime, reduzir a pena do antigo Presidente Lula da Silva, de 12 anos e um mês para oito anos, 10 meses e 20 dias de prisão.

Para poder passar ao regime semi-aberto, o condenado precisa de cumprir um sexto da pena, mas tem também de receber um atestado de bom comportamento por parte do director da unidade penitenciária.

A defesa do antigo Presidente brasileiro Lula da Silva afirmou que vai recorrer da decisão do Superior Tribunal de Justiça, que reduziu a pena de prisão, com o objectivo de obter a "absolvição".

A decisão deixa antever uma possível libertação condicional em Setembro, uma hipótese que no entanto poderia depender de outros casos pendentes para o antigo presidente, conforme recorda Alfredo Valadão, politólogo especializado na América do Sul ligado ao instituto de estudos políticos de Paris.

Alfredo Valadao, politólogo especializado na América do Sul 24/04/2019 ouvir
Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.