Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 22/05 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 19/05 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/05 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/05 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 22/05 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 19/05 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/05 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/05 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 22/05 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 19/05 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/05 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/05 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 22/05 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 19/05 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/05 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/05 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Mundo

Boris Johnson disponível para governar

media Boris Johnson, confirmou, esta quinta-feira, que será candidato ao cargo de primeiro-ministro no Reino-Unido REUTERS/Darren Staples

O antigo ministro britânico dos Negócios Estrangeiros, Boris Johnson, confirmou, esta quinta-feira, que será candidato ao cargo de primeiro-ministro, quando Theresa May deixar as funções.

“Claro que me vou candidatar”, declarou Boris Jonhson num encontro em Manchester, no nordeste da Inglaterra, confirmando as suposições dos colegas conservadores e dos comentadores políticos.

Logo de seguida, através da BBC, foi feito de imediato um esclarecimento para não criar um equívoco político: Johnson não está a desafiar a primeira-ministra, só explicou que quando o lugar de líder do Partido Conservador (e primeiro-ministro) ficar disponível, ele será candidato. 

Theresa May já tinha prometido apresentar demissão logo que o acordo do Brexit fosse concluído com Bruxelas.

Esta quinta-feira, a chefe do executivo reuniu-se com o Comité 1992, que integra deputados conservadores sem cargos no governo, onde foi decidido que se mantém no cargo, mas a prazo.

May vai apresentar pela quarta vez, no início de Junho, um projecto de lei sobre o acordo do Brexit. O voto vai decidir a legislação que deverá ser adoptada para a aplicação do acordo e não sobre o acordo em si mesmo.

No caso do projecto de lei ser rejeitado, a primeira-ministra britânica poderá ser forçada a apresentar demissão.

Theresa May chegou à liderança do governo britânico depois do referendo de 2016 sobre o Brexit e da demissão do seu predecessor David Cameron. Na altura, o defensor do Brexit, Boris Johnson, que também estava na corrida, acabou por renunciar ao cargo.

O antigo presidente da câmara de Londres tornou-se conhecido pelos escândalos diplomáticos e chegou a ser acusado de ter induzido os eleitores em erro a propósito do Brexit durante a campanha para o referendo.

Boris Johnson demitiu-se do cargo de ministro dos negócios Estrangeiros no ano passado, por estar em desacordo com a estratégia do governo em relação ao Brexit.

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.