Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 15/09 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 19/09 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/09 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 15/09 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 20/09 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/09 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 15/09 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 19/09 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 19/09 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 15/09 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Mundo

Irão disponível para negociar com os EUA

media Hassan Rohani, Presidente do Irão. HO / IRANIAN PRESIDENCY / AFP

O Irão está disponível para negociar com os Estados Unidos se forem levantadas as sanções contra Teerão. O anúncio foi feito esta terça-feira pelo Presidente Hassan Rohani, após o responsável pela diplomacia iraniana ter recusado encontrar-se com Donald Trump.

Hassan Rohani garantiu que a República do Irão está disposta a negociar se os Estados Unidos quiserem verdadeiramente discutir, e se as sanções forem levantadas. O Presidente iraniano não precisou, no entanto, o teor das negociações nem fez referência ao facto do responsável pela diplomacia iraniana ter recusado encontrar-se com Donald Trump.

Desde que se retirou, em 2018, do acordo internacional sobre o nuclear iraniano de 2015, que Washington impôs uma série de sanções económicas contra Teerão.

A decisão fez aumentar as tensões entre os dois países. No início do mês de Julho, o Irão começou a reduzir os compromissos efectuados no quadro do acordo e ameaça continuar a fazê-lo, se os outros Estados signatários do acordo [Reino Unido, Alemanha, França, China e Rússia] não ajudarem o país a contornare as sanções americanas que asfixiam a economia do país.

Entretanto, vários petroleiros foram atacados perto do Estreito de Ormuz, com os Estados Unidos a atribuírem estes ataques à Guarda Revolucionária, algo que o Irão desmente.

Em Junho, Teerão ordenou o abate de um avião norte-americano não-tripulado no sul do país, garantindo que tal aconteceu em águas territoriais iranianas. Já os EUA asseguraram que o aparelho sobrevoava águas internacionais.

Em resposta a esta acção, o Presidente norte-americano ordenou mesmo um ataque contra alvos no território iraniano, mas recuou minutos antes por considerar que não seria “uma resposta proporcional”, uma vez que poderiam morrer 150 pessoas. Washington acabaria por impor novas sanções contra alguns dos principais líderes iranianos, dias mais tarde.

Neste contexto de animosidade, a decisão do Irão arrestar três petroleiros estrangeiros no golfo, em menos de um mês, veio exacerbar ainda mais as tensões.

Dias mais tarde as autoridades britânicas prenderam um navio iraniano em Gibraltar, com o argumento da embarcação transportar petróleo para a Síria, acusações desmentidas por Teerão. As autoridades iranianas acusam os britânicos de terem violado o pacto internacional.

Sobre esta situação, Hassan Rohani lembrou que é impossível que o estreito de Ormuz seja livre para os britânicos e que o estreito de Gibraltar seja proibido para os iranianos.

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.