Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 19/09 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 15/09 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 19/09 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 15/09 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 19/09 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 15/09 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 19/09 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 15/09 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Mundo

Navio Open Arms vive situação "desesperada"

media Migrantes a bordo do navio Open Arms Francisco Gentico/Open Arms

A ONG Open Arms deplora o facto de ter que fazer uma viagem de quase mil quilómetros até o arquipélago espanhol, quando o navio se encontra a 800 m da costa italiana.

O navio está há 17 dias à espera de autorização para desembarcar 107 migrantes na ilha italiana de Lampedusa.

O capitão do navio humanitário ter rejeitado as "inviáveis" ofertas do governo espanhol para navegar até ao porto de Algeciras, primeiro, e depois a algum das Baleares - em Maiorca ou Menorca -, devido à situação "desesperada" que se vive a bordo.

Este fim-de-semana, quatro pessoas saltaram para a água para chegar a Lampedusa a nado. Um acto de desespero de quem já quase morreu afogado.

A situação a bordo do Open Arms começa a ser desesperante, a equipa humanitária tenta controlar a revolta.

"De que mais precisamos? mortos? Os que não morreram no mar, têm de morrer aqui a bordo do Open Arms? É disso que precisamos? Espero que o ministério público actue, e actue já", exigiu o fundador da ONG Open Arms, Oscar Camps.

O ministro do Interior italiano, Mateo Salvini, recorreu da decisão judicial que permitia à Open Arms atracar. Foram autorizadas as evacuações médicas e de 27 menores.

"Uma vergonha, uma vergonha mundial. Doentes fingindo que, na visita, não estavam doentes. Disse-o ao médico responsável pelos serviços médicos de Lampedusa que foi atacado. Supostos menores, supostos refugiados... em fuga de supostas guerras. E supostos doentes, não. E pronto, estou sozinho contra todos. Devo acabar na prisão porque defendi as fronteiras e a segurança do meu país? E vou fazê-lo", afirmou o ministro do interior italiano.

A tripulação alegou a impossibilidade de assumir mais alguns dias de travessia com 107 pessoas em condições extremas, amontoadas no convés com ataques de ansiedade, lutas e até alguns dos migrantes resgatados a atirarem-se ao mar no domingo, tentando nadar 800 metros até chegarem a Lampedusa.

Peça sobre o bloqueio do navio Open Arms 19/08/2019 ouvir
Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.