Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 19/09 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 15/09 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 19/09 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 15/09 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 19/09 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 15/09 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 19/09 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 15/09 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
São Tomé e Príncipe

Retoma das negociações sobre a educação em São Tomé e Príncipe

media Primeiro-ministro de São Tomé e Príncipe, Patrice Trovoada, chefia as negociações Miguel Martins/RFI

O governo santomense e o sindicato dos professores e educadores, retomaram esta segunda feira as negociações visando uma solução à greve iniciada a 26 de janeiro findo.

O pomo da discussão gira à volta da melhoria da situação sócio-económica dos docentes e a sua dignificação.

O primeiro -ministro santomense, disse que o governo continua aberto as negociações, mas apontou a actual situação económica e financeira do país que não dá muita margem de manobra ao executivo para eventuais aumentos exigidos pelo sindicato.

Patrice Trovoada referiu que é preciso ter em conta o “ interesse da economia nacional”, aludindo aos compromissos com as instituições financeiras internacionais como FMI e o BM.

O sindicato admite flexibilizar nalgumas das suas exigências levando a crer que as partes cheguem a um entendimento para a solução da greve.

Confira aqui a crónica audio de Maximino Carlos em São Tomé

Correspondência de São Tomé 01/02/2016 ouvir

 

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.