Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 19/09 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 15/09 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 19/09 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 15/09 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 19/09 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 15/09 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 19/09 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 15/09 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 15/09 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/09 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
São Tomé e Príncipe

Professores são-tomenses levantam greve de 10 dias

media Escola em São Tomé e Príncipe

Foi levantada a greve dos professores e educadores de São Tomé e Príncipe. Durante 10 dias a maioria das escolas no arquipélago ficaram paralisadas.

Retomaram hoje as aulas depois de cerca de 10 dias de greve dos professores. O movimento terminou ontem com um acordo em que os professores obtiveram concessões por parte do governo no que diz respeito a subsídios e horas extraordinárias.  Contudo os professores não alcançaram o aumento salarial de 30% que reclamavam.

"A greve foi levantada, a classe docente a nível do país já se encontra no seu posto de trabalho, pelo menos começámos hoje. Em quase todos os pontos reivindicativos tivemos sensibilidade do governo a não ser no ponto respectivo ao aumento do salário de base que não foi possível, segundo o governo, por causa de compromissos que São Tomé tem com o Banco Mundial", afirmou o secretário-geral do sindicato dos professores são-tomenses.

Gastão Ferreira que confirmou que foi alcançado um acordo com o Governo, mas o sindicato teve de abrir mão quanto ao aumento salarial; "nesse contexto e porque o governo, este ano, já fez um aumento de salário a nível de funcionários públicos na ordem de 12,8%. Assim sendo, neste capítulo não encontramos a sensibilidade do governo o que nos obrigou a assinar um memorando de entendimento com o governo para que a greve fosse levantada e relegar os 50% de aumento salarial que tínhamos solicitado ao governo para 2017" .

Secretário-geral do sindicato dos professores em São-Tomé e Príncipe, Gastão Ferreira 05/02/2016 ouvir

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.