Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 19/07 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 14/07 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/07 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/07 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 14/07 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 19/07 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/07 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/07 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 14/07 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 18/07 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/07 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/07 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 18/07 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 14/07 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 14/07 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 18/07 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
São Tomé e Príncipe
FMI

FMI não vai colaborar com São Tomé e Príncipe

media O FMI revisa para baixo crescimento da economia mundial em 2015. Marcos Santos/USP Imagens

O Fundo Monetário Internacional anunciou que não vai colaborar na construção do porto de águas profundas em Fernão Mendes nem nas obras de reabilitação do aeroporto de São Tomé. A decisão do FMI deve-se ao elevado o nível de endividamento do país.

O elevado nível de endividamento de São Tomé e Príncipe é o argumento dado pelo Fundo Monetário Internacional que anunciou que não vai colaborar com o país na construção do porto de águas profundas, nem nas obras de reabilitação do aeroporto do país.

O FMI que teve um papel determinante no perdão da dívida externa em 2007, avaliada em 300 milhões de dólares, reconhece a importâncias destas infra-estruturas, contudo considera que estes projectos devem ser analisados de forma e evitar o aumento da dívida externa.

As declarações foram feitas pelo chefe do departamento do Fundo Monetário Internacional para o continente africano, David Owen, que se reuniu com Patrice Trovoada, após a deslocação do primeiro-ministro a Washington.

A posição do FMI é conhecida numa altura em que o ministro da presidência do Conselho de Ministros e Assuntos Parlamentares, Afonso Varela, anunciou que a data do início das respectivas obras será conhecida no primeiro semestre deste ano.

Correspondência de Máximino Carlos 28/03/2017 ouvir

 

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.