Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 19/11 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 17/11 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/11 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 17/11 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 19/11 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 17/11 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/11 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 17/11 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 19/11 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 17/11 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/11 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 17/11 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 19/11 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 17/11 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 19/11 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 17/11 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Moçambique

Violência na greve da açucareira da Maragra em Moçambique

media Os grevistas reclamam nomeadamente um aumento salarial de 20%. http://www.moznegocios.co.mz

Uma semana depois de terem suspenso o seu movimento de greve encetado a 27 de Julho, os trabalhadores da açucareira da Maragra na Manhiça, na província de Maputo, retomaram o bloqueio, o dia de hoje tendo sido marcado pela violência com um balanço preliminar de 4 feridos, entre os quais dois agentes da polícia. Os grevistas reclamam melhorias salariais e nas condições de trabalho.

A administradora do distrito da Manhiça Cristina Mafumo apelou já a calma e aos entendimentos entre as partes desavindas, mas o braço de ferro entre a Açucareira da Maragra e a massa laboral parece estar instalado. A polícia mobilizou-se em força para estancar eventuais violências no âmbito da greve.

Os trabalhadores, que vinham observando numa primeira fase uma paralisação de actividades desde o dia 27 de Julho, exigem melhores condições de trabalho, aumentos salariais e a redução das disparidades de remunerações entre os técnicos nacionais e estrangeiros da mesma categoria. Os mesmos protestam contra a suspensão de subsídios e expressam igualmente o seu desagrado com o facto de se terem atribuído 6 faltas para cada trabalhador depois de terem suspenso o seu movimento há alguns dias. Mais pormenores com Orfeu Lisboa.

Orfeu Lisboa, correspondente da RFI em Maputo 09/08/2017 ouvir

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.