Ouvir Carregar Podcast
  • 16h00 - 16h06 TMG
    Noticiário 20/10 16h00 GMT
  • 16h00 - 16h10 TMG
    Noticiário 23/10 16h00 GMT
  • 16h06 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/10 16h06 GMT
  • 16h10 - 16h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/10 16h10 GMT
  • 17h00 - 17h10 TMG
    Noticiário 22/10 17h00 GMT
  • 17h00 - 17h06 TMG
    Noticiário 20/10 17h00 GMT
  • 17h06 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/10 17h06 GMT
  • 17h10 - 17h30 TMG
    Segunda parte da emissão 23/10 17h10 GMT
  • 18h00 - 18h06 TMG
    Noticiário 20/10 18h00 GMT
  • 18h00 - 18h10 TMG
    Noticiário 22/10 18h00 GMT
  • 18h06 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/10 18h06 GMT
  • 18h10 - 18h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/10 18h10 GMT
  • 19h00 - 19h10 TMG
    Noticiário 22/10 19h00 GMT
  • 19h00 - 19h06 TMG
    Noticiário 20/10 19h00 GMT
  • 19h06 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 20/10 19h06 GMT
  • 19h10 - 19h30 TMG
    Segunda parte da emissão 22/10 19h10 GMT
Para aproveitar em pleno os conteúdos mutimedia, deve ter o plugin Flash instalado no seu navegador. Para estabelecer a ligação deve activar os cookies nos parâmetros do seu navegador. Para poder navegar de forma ideal o site da RFI é compatível com os seguintes navegadores: Internet Explorer 8 e +, Firefox 10 e +, Safari 3 e +, Chrome 17 e + etc.
Moçambique

Moçambique proíbe casamentos prematuros

media Escola Primária Completa do Vaz, Beira, Moçambique Cristiana Soares

O Parlamento moçambicano aprovou esta quinta-feira na especialidade a proibição de uniões entre pessoas com menos de 18 anos. O instrumento jurídico sanciona com penas que podem ir até 12 anos o adulto que se casar com crianças.

A Assembleia da República de Moçambique aprovou hoje a lei que criminaliza as uniões entre pessoas com menos de 18 anos.

A nova lei condena com pena até oito anos de prisão o familiar que obrigue a criança a aceitar a união e pune com penas até 12 anos e multa até dois anos o adulto que viver maritalmente com menor de 18 anos.

O anteprojecto de Lei de Prevenção e Combate às Uniões foi submetido ao Parlamento moçambicano há dois anos por cerca de 50 organizações da sociedade civil que integram a Coligação para a Eliminação contra Casamentos Prematuros.

A aprovação do diploma acontece numa altura em que Moçambique lidera as taxas mais elevadas de uniões prematuras no mundo. As províncias de Nampula, Zambézia, Cabo Delgado, Tete e Manica, no norte e centro do país, são as mais afectadas com esta realidade.

A lei hoje aprovada terá ainda de ser promulgada pelo chefe de Estado, Filipe Nyusi, e publicada no Boletim da República, para poder entrar em vigor.

Correspondência de Orfeu Lisboa 18/07/2019 ouvir

 

Sobre o mesmo assunto
 
Lamentamos, mas o prazo para estabelecer a ligação em causa foi ultrapassado.